quarta-feira, junho 28, 2017


Soube bem bater-lhe como trincar o fruto mais velho, uma ameixa, ao contrário da crença popular, tê-la encontrado na famosa viela, por onde se metem quando, por um segundo, o destino não lhes importa, não é desleixo mas paixão da inconsciência, se chama puta às tempestades, se manda os anjos à merda, tão escuro e afastado que nem a deus chegaria um rumor, tão fundo que dava para matá-la sem sentir remorsos, o corpo desconjuntado numa operação entre a fúria e a delicadeza, a mesma paciência desfazendo como aquela que se usa para montar um puzzle, e, naturalmente, havia uma porrada de testemunhas, cães como nós, cada um escavara o seu buraco para ver como se sentem os ossos, ultrapassar a carne, os punhos colados, bater para magoar todos os envolvidos, ver-lhe o fantasma no rosto, as marcas primorosas nos membros, sinais de uma tão débil luta, e a luz atravessada, ouvindo-lhe o pulso e imaginando-se a ler os jornais do dia seguinte, a tosca, quase artística obscenidade das fotografias, o modo subtil de ferir susceptibilidades, queria ajudar os repórteres, plantar a semente para a flor mais escabrosa, abrir fendas por onde o flash pudesse ir mais longe nos seus estudos de anatomia, soube bem tê-la seguido, esse convite feito a um monstro, saber que não podíamos absolutamente decepcioná-la, afastarmo-nos um pouco de nós para que o inferno nos conduza, a humidade e o frescor do sangue usando o perfume dela, um arbusto usando os sapatos como brincos, soube bem ir até ao fim, sair de quatro das sombras e sentir que trocáramos de forma com os lobos, a gozar a calma de ter contentado a natureza, o ar da noite assobiando por uma ferida no lábio, soube-lhe melhor talvez a ela, descansando daquela superioridade moral toda, acabar feita um resto, desfigurada para lá de qualquer semelhança consigo, qualquer sinal que um familiar pudesse identificar, há muito que a beleza natural se via forçada, pedindo piedade do espelho da luz, mas assim, os que a viram uma só vez reconstituíram outra coisa, quem a desejou sequer ordinariamente sentiu ter perdido uma parte de si, um amor, os que a foderam, de sentirem-se sujos, agora tinham a tentação de um abraço, apóstolos de uma revelação tão incerta.

Sem comentários: