quinta-feira, março 05, 2015


só o impossível acontece.
o possível apenas se repete ...
se repete ... se repete ...

- Chacal


Ainda não é o problema de que sempre sejam os mesmos, mas de que os mesmos já não se iludam, não tragam em si um golpe, uma decapitação, uma dinastia prestes a ser estancada. Esta gente não existe. Não se mudam lá dentro, no máximo compram uma planta, mudam-na de lugar. Nunca meteram as malas à porta nem se enfiaram numa agência de viagens com a ideia de, por uns dias que fosse, se porem a milhas de si mesmos. Não descem o rio, não molham os pés no coração das trevas. Cedem às represálias do que deles se esperou sempre, e as suas melhores expectativas estão entre o fazer boa figura e o não desapontar ninguém. Dispensam-se do outro como de um mal estar. Lêem Kafka como quem leva os miúdos ao jardim zoológico. Trazem a lógica feito espingarda ao ombro e não podem ver nada, atiram aos céus para os fazer tombar como caça. Frequentam quermesses, colóquios, gostam de ver o problema ser arrastado à força para o meio e, como num circo, confiam a um domador para que manobre o que resta do animal sob o aviso do chicote. Confiam nos números, na possibilidade da sua pobre palavra passar, de juntar gente suficiente e um dia, quem sabe, pagar as contas do mês.

Sem comentários: